A psoríase é uma doença da pele não contagiosa. Pode atingir homens e mulheres de todas as idades, causando vermelhidão e irritação em áreas como joelho, cotovelos, palmas das mãos e couro cabeludo.

Ainda não se sabe qual a causa da psoríase, mas acredita-se que, além da genética, fatores externos, como calor ou frio, e psicológicos, como o estresse, podem influenciar.

Um sintoma muito comum à psoríase é a falta de pelos ou coceira na região infeccionada. Mas doença possui diferentes tipos e seus sintomas são identificados de acordo com o grau das lesões encontradas na pele.

O tipo mais comum é a Psoríase Vulgar ou “em placas”. As lesões podem ser de tamanho variado e aparecem em diversas partes do corpo, formando placas ou escamas secas e brancas.

Outra forma da doença é a Psoríase Gutata, que ao invés de aparecer em grandes lesões, surge na forma de pequenos pontos vermelhos em áreas como tronco, braços e coxas, sendo mais comum entre crianças e jovens.

Na Psoríase Inversa, as lesões ocorrem em nas áreas onde normalmente há dobras ou pele sobreposta, como virilha, axilas, joelho e cotovelo. São lesões mais úmidas e avermelhadas.

Há também a Psoríase Postular, caracterizada por formar afecções contendo pus, podendo ser localizada apenas nos pés e nas mãos ou atingir outras áreas do corpo.

Entre os todos os tipos, a mais rara é a Psoríase Eritrotérmica, que atinge cerca de 75% da superfície corporal, com lesões dolorosas e que descamam, podendo conter pus. Por formar lesões que deixam a pele exposta, esse tipo de psoríase exige tratamento emergencial.

A Psoríase ainda não tem cura, mas há tratamento para regular os sintomas. Procure o seu dermatologista para seguir o tratamento mais adequado.