Os avanços da medicina permitem que as pessoas com psoríase tenham acesso a uma vasta quantidade de medicamentos que auxiliam no controle dos sintomas e ajudam a fazer com que os pacientes tenham uma vida normal. Mas, paralelamente ao uso de remédios, existem algumas iniciativas que podem melhorar significativamente o dia-a-dia de quem sofre com esse problema.

A exposição regular ao sol é um exemplo de coisas que podem ser feitas para ajudar no controle da psoríase. É preciso ter em mente, porém, que a pele é um órgão muito delicado, e que por isso exige uma série de cuidados especiais.

sol-amigo-ou-inimigo-de-quem-tem-psoriase

É sabido que a psoríase é uma doença que afeta o processo de renovação das células da pele. É por causa de anormalidades nesse processo que se observa o surgimento das lesões tão comuns nesses pacientes. Embora haja indícios de que a origem da doença está no mau funcionamento do sistema imunológico, não se conhece com exatidão a causa do problema. Consequentemente, também não se conhece a cura.

O que não significa que não existam tratamentos. Em relação aos banhos de sol, por exemplo, se observa que a exposição a raios ultravioleta ajuda a normalizar o processo de multiplicação das células, amenizando os sintomas da psoríase.

Mas é preciso muito cuidado, pois os mesmos raios ultravioletas, em casos de exposição excessiva, também podem provocar o aparecimento do câncer de pele. Por isso, valem as recomendações de sempre: quem tem psoríase não pode abrir mão do uso do protetor solar e deve evitar a exposição em horas do dia em que o sol é muito forte. O tempo de exposição também não pode ser excessivo –normalmente, 15 minutos ao dia já são suficientes para notar resultados.

Após o banho de sol, o paciente também deve cuidar da hidratação da pele. Em caso de dúvidas sobre o produto a ser usado, um médico pode ser consultado para dar as orientações corretas. Tomadas as precauções adequadas, a exposição ao sol pode ser um importante aliado no tratamento da psoríase.