A psoríase não tem cura, mas tem tratamento. Isso significa que os pacientes diagnosticados com a doença devem se tratar para controlar os sintomas, que são placas avermelhadas e escamações esbranquiçadas na pele, causados por inflamações. Mas o que fazer se o tratamento não funciona?

Com o tratamento para psoríase adequado, os sintomas são controlados e na maioria dos casos desaparecem por completo. Mas com o tempo eles voltam porque não existe uma cura definitiva para a psoríase. É uma doença de ciclos, que vai e volta.

Mesmo sem ter cura, é fundamental que o paciente procure seguir o tratamento assim que receber o diagnóstico. A falta de tratamento pode evoluir para doenças mais graves e uma dificuldade maior em controlar a inflamação na pele. Somente o médico dermatologista pode indicar o melhor terapia contra a psoríase.

Se o tratamento indicado pelo seu dermatologista não funcionar, é preciso discutir com o médico o que pode estar acontecendo. O médico pode decidir usar métodos complementares e até mudar as doses e horários dos medicamentos. Por exemplo, se o tratamento indicado for apenas a fototerapia com banhos de sol, o médico pode decidir adicionar uma pomada para os períodos de crise mais aguda.

O dermatologista pode avaliar também a alimentação do paciente e o seu nível de estresse, fatores capazes de detonar ou agravar crises de psoríase. Portanto, se o tratamento não funciona de imediato, ele poderá ser complementado com uma consulta ao nutricionista, ao psiquiatra ou psicólogo. A dieta adequada e uma boa rotina de exercícios podem fazer a diferença na eficácia do tratamento.

Por fim, o paciente deve seguir o tratamento indicado pelo médico à risca. Pular horários e mexer nas doses de medicamentos faz o tratamento não dar certo e pode ser muito perigoso para a saúde.