Pacientes diagnosticados com psoríase não devem deixar a doença afetar sua qualidade de vida, nem suas relações pessoais e profissionais.

A psoríase não é contagiosa. Portanto, não há motivo para os pacientes se afastarem de outras pessoas ou evitarem contato físico. O recomendado é que continuem a viver normalmente, trabalhando, estudando e realizando suas atividades diárias.

Apesar de suas causas não terem sido completamente identificadas, a psoríase é uma inflamação na pele. Lesões podem surgir em diferentes partes do corpo, principalmente joelhos, cotovelos, couro cabeludo, pés e mãos.

Infelizmente, muitos pacientes sofrem discriminação social por causa da doença. A falta de informação faz com que algumas pessoas se afastem por medo de contágio. Por isso, é importante que todos saibam que a psoríase não é transmissível.

Explique para as pessoas com quem você convive o que é a psoríase, diga que ela não é contagiosa e conte sobre o tratamento que você está fazendo. Deixar essas informações claras fará com que todos saibam que não precisam se preocupar com sua ou a própria saúde.

É muito importante que você não faça alterações em sua vida ao ser diagnosticado com psoríase. Lembre-se que o estresse pode agravá-la e o isolamento social poderá aumentar o nível de estresse.

Além disso, não há motivo algum para se envergonhar. Você não deve tentar esconder as lesões. Utilizar bonés, lenços e chapéus podem irritar ainda mais a pele, e o mesmo vale para luvas e roupas de manga comprida quando está calor. Se estiver frio, prefira as roupas de algodão e evite tecidos sintéticos.

O tratamento da psoríase é simples. Na maioria dos casos, o dermatologista indicará o uso de uma pomada, creme ou xampu especial, caso seja do couro cabeludo, que não interferirão com sua rotina.